Análise – Captain Toad: Treasure Tracker Switch

Lançado originalmente em 2014 para Wii U, Captain Toad chega ao Switch com algumas mudanças

0

Nascido de um mini game despretensioso do Super Mario 3D World, Captain Toad foi um jogo muito adorado em seu lançamento original em 2014 para Wii U.

Captain Toad é um jogo de puzzle com elementos de aventura, cada fase tem objetivos simples porém desafiantes e faz com que o jogador se surpreenda a cada nível superado. A mecânica do jogo consiste em analisar seu cenário isométrico abusando do poder de exploração deste com a câmera para resolver seus quebra-cabeças, e neste ponto que o jogo tem seu brilho.

O level design é incrível, o jogo explora de muitas maneiras desafiantes a capacidade de raciocínio e exploração do jogador. O objetivo primário de cada fase é alcançar a estrela, porém muitos segredos estão escondidos. A primeira vista, os níveis podem parecer pequenos e não desafiadores, porém não é o que acontece: é possível perder muito tempo em um único nível até descobrir todos os seus segredos, que quando são descobertos percebemos o quão bem bolados foram.

Apesar de movimentos limitados, os cenários do jogo possibilitam interações diversas. Você não pode pular, porém pode usar uma gangorra para ser arremessado a uma plataforma mais alta por exemplo. Algumas batalhas são resolvidas arremessando itens nos inimigos, porém o desafio não depende das habilidades mecânicas do jogador e sim de seu planejamento de como passar de determinado ponto.

Um belíssimo jogo

Mantendo uma direção de arte já conhecida dos jogos do Mário, Captain Toad consegue ter uma beleza própria com seus níveis muito bem projetados e cenários coloridos. Já em termos de desempenho, o jogo roda em 1080p com uma taxa de quadros a 60fps quando o console está na dock do switch, e 720p com 60fps quando no modo portátil.

Em relação a versão do Wii U, algumas adaptações dos controles tiveram que ser feitas por conta da ausência do gamepad no switch. E aqui está o maior problema desta versão. Quando jogado com o console no dock, algumas interações com o cenário são feitas com o acelerômetro do controle e esta solução não é bem resolvida. Este problema não ocorre quando jogado no modo portátil pois estas interações são feitas através da tela de toque.

Multiplayer questionável

O seu modo de dois jogadores também acaba utilizando esta configuração de controle, funcionando um pouco melhor em termos de jogabilidade, porém o jogo claramente não foi pensado para ser multiplayer, logo é muito lquestionável se o segundo jogador se diverte tanto quando o primeiro. Aqui poderia ser trabalhada outra abordagem, como níveis exclusivos para dois jogadores ou algo semelhante.

Alguns extras no Switch

A versão de Switch recebeu algumas fases extras inspiradas nos mundos de Super Mario Odyssey que são realmente um ótimo incentivo para adquirir esta versão, enquanto as fases do Super Mario 3D World que estavam presentes na versão de Wii U foram retiradas.

78%
Ótimo

A versão do Switch do Captain Toad é um boa pedida para quem não teve a oportunidade de jogar no Wii U, porém deve afastar ex-jogadores pela falta de novidades e baixo fator replay. É um jogo divertido que pode render muitas horas de surpresas e desafios que valem a pena ser experimentado, seu valor de 39 dólares o torna um título recomendado em sua biblioteca do Switch.

  • Nota Final
você pode gostar também