Análise – Diablo 3: Eternal Collection Switch

Uma bela chegada da Blizzard ao Nintendo Switch

3

Considerado um dos maiores títulos da Blizzard, Diablo chegou ao Switch para a alegria de muitos fãs. O game do gênero Hack and Slash, que traz raízes dos jogos RPG, começou sua saga 1996, no PC chegando no ano seguinte no Playstation e Mac.

Para quem não conhece muito sobre o enredo, Diablo gira em torno de uma série de missões para libertar Tristram do mal, numa viagem que nos leva até ao próprio Inferno. É aqui que encontramos a personagem Diablo, Senhor do Terror, e um dos sete demónios que outrora dominaram o Inferno.

Por dentro da história

O game tem o seu enredo narrado em torno do reino mortal de Sanctuary, conhecida como o Conflito Eterno e criado pelo Arcanjo Inarius com objetivo de abrigar anjos e demónios revoltos da guerra que perdurava entre o Céu e o Inferno.

Anjos e demónios renegados receberam o nome de Nephalem. Temendo uma nova ameaça, devido a esses serem mais poderosos que seus pais, Inarius utiliza poderes da Worldstone, o seu mais precioso artefacto, para inibir os poderes dos Nephalem.

Devido as gerações, e a medida que foram ficando fracos os Nephalem esqueçaram sua poderosa herança e começaram a se chamar de Humanos se adaptando ao meio e criando cidades, nações e até mesmo exércitos. Mesmo sem conhecerem o seu poder oculto, ainda mostravam que o poderiam futuramente voltar a reinar.

Diablo III: no Nintendo Switch

Diablo 3: Eternal Collection chega de forma totalmente adaptada para o Switch, denominado como uma versão “Eternal Collection”, o mesmo inclui todas as expansões existentes para Diablo III, além de itens extras e um modo totalmente offline, tanto no singleplayer quando no cooperativo local.

Muito foi questionado um game que chega seis anos depois de ser lançado ao PC, mas saiba que ele pode oferecer sim uma grande experiência de gameplay, mesmo com esse tempo de vida.

Escolha sua classe

Em Diablo III temos de criar o nosso herói do zero e escolher a classe que mais se adapta ao nosso estilo de jogo, entre sete classes únicas: Barbarian, Crusader, Demon Hunter, Monk, Witch Doctor, Wizard e Necromancer.

Todas as classes são equilibradas e ofereçam uma experiência totalmente uniforme, dependendo muito do estilo jogador. Vale destacar que cada uma dessas classes incluem diversas habilidades de uma vez, sendo possível alterá-las ao longo do tempo. Cada habilidade “ativa” cinco runas que fortalecem o seu poder pode forma ainda mais agressiva, entregando ao jogador a possibilidade de desbloqueio de habilidades cada vez mais poderosas.

Algo notável é que o game te força a iniciar do zero. Não havendo possibilidade de importar uma conta antiga do PC ou algo do gênero. Limitação pode incomodar certos jogadores mais antigos que gostariam de apenas uma gameplay portátil. Logo, esse recomeço de tragetória pode ser frustante para alguns. Vale lembrar que não consideramos um ponto negativo, já que objetivo principal é reviver a experiência completa no novo console, mas vale levantar esse quesito.

Explore e crie seus próprios itens

Para quem nunca jogou Diablo, saiba que loot é tudo e qualquer “lixo” pode ser útil, principalmente devido ao sistema de crafting. Esse sistema permite você criar o próprio equipamento. Podendo chegar a armas fortes, combinar certos itens e até mesmo realizar mudanças nas propriedades mágicas utilizando o Mystic.

O crafting é algo muito bem implementado e cria um sistema de balançeamento na gameplay que recompensa o jogador de forma plena. Gratificando o esforço de “lootear” tudo pelos cenários.

Itens exclusivos Nintendo: Nintendo Switch recebeu alguns elementos de bónus que fãs da Nintendo vão gostar, como a armadura Legend of Ganondorf, um retrato Tri-Force, o pet Cucco, e as asas Echoes of the Mask, uma referência à Majora’s Mask, da série Legend of Zelda, do universo Nintendo. Ponto positivo.

Diablo + Switch = Que combinação!

De cara podemos afirmar que a adaptação no Switch ficou incrível. Sabemos que graças ao tempo de existência do game o mesmo favoreceu as otimizações que puderam entregar esta bela experiência ao console da Nintendo.

O game se apresenta muito fluído durante toda a gameplay e entrega pontos exclusivos ao Switch, como oferece ao jogador o modo totalmente offline, sendo essencial e exclusiva nesta versão, podendo ser jogado em locais sem acesso à Internet.

Além disso, gameplays podem ser feitas com até mais três amigos de forma simultânea e cooperativa, em partidas locais, e também sem exigência de ligação à Internet. (Obrigado Blizzard!)

No modo portátil, ficamos curiosos isso afetaria a qualidade de leitura das informações de texto que Diablo possui de forma natural, mas para nossa surpresa o game entrega uma imagem muito bem definida no seus máximos 720p. Logo, Diablo III no Nintendo Switch é exatamente a mesma experiência que você encontraria em qualquer outro console, seja no modo portátil, quanto na TV.

Português incluído!

Normalmente não destacamos tanto esse ponto em jogos mas é realmente necessário neste caso. Um cuidado muito interessante por parte da Blizzard foi levar para o console da Nintendo todas os seus pacotes de dublagem, incluindo o Português. Logo, você pode jogar com vozes e legendas tudo em nossa lingua. Uma experiência única e que poucos jogos presentes atualmente Switch estão oferecendo.

Vale mesmo?

É inegável que Diablo III é um jogo que realmente se encaixa com a proposta do Switch. Sabemos que RPGs costumam exigir muitas horas para garantir uma evolução completa, bem como explorar todos os cenários e associar isso a portabilidade do console acaba por entregar uma experiência quase perfeita, graças ao cuidado de otimização no ambiente portátil. A experiência é muito boa e, admito que como análista do game me peguei mais do que o tempo necessário para criar o próprio artigo.

Nota-se que até agora não citamos pontos negativos, o que de fato é real. O game apenas acaba por se manter inalterado, não entregando novas missões. Mas como o objetivo do game era exatamente a entrega da experiência original de Diablo ao novo console da Nintendo, a proposta está totalmente cumprida.

95%
Incrível!

Diablo III se torna ainda mais interessante de ser jogado no Switch. A experiência de gameplay de um jogo totalmente acertado ao console entrega uma experiência viciante e que fará muitos jogadores, tanto novos quanto os mais antigos, gastarem muitas horas no game. Um belo trabalho por parte da Blizzard e uma chegada em grande estilo ao console da Nintendo.

  • Nota

Esta análise foi realizada graças a uma cópia gentilmente cedida pela Blizzard.

você pode gostar também