Análise – Hollow Knight

Em Hallownest a dor e a tristeza estão em todos os lugares

4

Metroid e Castlevania: Symphony of the Night trouxeram para o mundo dos games o gênero conhecido como Metroidvania que desde então vem sendo bastante explorado pela indústria, principalmente entre os Indies. Jogos como Celeste, Guacamelee e tantos outros vem sendo muito bem elogiados pela crítica especializada e pelo público.

Em 2014 a Team Cherry, um estúdio independente australiano, colocou no Kickstarter um projeto de um ambicioso jogo deste gênero chamado Hollow Knight. O projeto foi um sucesso, alcançando 57 mil dólares australianos no final de 2014. Sendo assim Hollow Knight começou a ganhar vida.

Em fevereiro de 2017 o jogo foi lançado para PC e em Abril do mesmo ano lançado para macOS e Linux. Foi um sucesso estrondoso! Em Novembro de 2017 ele alcançou a marca de 500 mil cópias vendidas e a crítica elogiou bastante todos os aspectos do game. Em Junho de 2018, durante o Nintendo Direct da E3, nós fãs da Nintendo tivemos a honra de também colocar as mãos nessa obra prima da atualidade no Nintendo Switch.

É um jogo com uma ambientação densa, uma história cativante e triste, com um sistema de combate e customização de personagem incrível, mas que também traz uma boa dosagem de dificuldade que pode fazer muitos jogadores arrancarem os cabelos.

Hallownest – Um reino vazio, melancólico e cheio de mistérios

A história de Hollow Knight segue a ideia que Dark Souls propõe: ausência de narrativa que instiga o jogador a procurar entender o que está acontecendo naquele lugar e para isso ele deve estar atento aos diálogos dos NPCs e escrituras espalhadas por todo o jogo, assim como também detalhes dos cenários que podem contar um pouco do que aconteceu em Hallownest. Demanda uma interpretação do jogador, que se por um acaso não houver, ele passará todo o game sem entender nada do que está acontecendo. Pesquisar na internet a fora teorias e explicações sobre a história pode ajudar na compreensão do enredo.

Hollow Knight se passa em um universo onde todos são insetos, aracnídeos, fungos e anfíbios. Não há humanos ou qualquer outro tipo de ser vivo.

Hallownest é um reino subterrâneo que há muito tempo atrás fora um reino próspero, famoso e repleto de tesouros, mas subtamente uma maldição assolou todo o império e hoje jaz em ruínas. Todos de Hallownest, inclusive seu Rei, se transformaram em vazios ou caíram no abismo da loucura. Com o reino em ruínas muitos viajantes se aventuraram por lá para conseguir os tesouros perdidos de Hallownest, mas praticamente todos acabaram se tornando comida de outros insetos ou a loucura tomou conta de suas mentes.

Com Hallownest já vazia e assolada, um pequeno personagem aparece e ele é conhecido apenas como “O Cavaleiro”. Chegando na cidade de Dirtmouth, um vilarejo que está na superfície de Hallownest, o pequeno herói é advertido pelo único morador sobre os perigos que vivem abaixo da cidadela. É nesse ponto que o game começa.

O Cavaleiro possui um ferrão que ele usa para atacar. Não há poções ou itens para recuperar vida, para isso deve-se focar a energia para curar. Além disso a energia é também usada para disparar magias que são conquistadas na medida que for avançando no game. Tanto a vida quanto a energia podem ter suas capacidades aumentadas com os itens Fragmentos de Máscara e Fragmentos de Almas respectivamente. O ferrão pode ser melhorado para aumentar seu dano no Ferreiro com Minérios Pálidos.

Uma atmosfera de encher os olhos e uma trilha emocionante

A primeira coisa que se percebe ao começar a jogar Hollow Knight é a ambientação. É tudo extremamente desolado, andar pelo reino dá a sensação de tristeza e agonia. Apesar da temática ser insetos não inibe o fato de nos emocionarmos com as histórias que são contadas. Os inimigos, os cenários, a arte e principalmente a trilha sonora nos remete a uma tristeza sem precedentes, pois é muito deprimente presenciar as ruínas de um reino que antes era alegre e que agora não passa apenas de um lugar desolado e sem vida.

A trilha sonora é impecável, transmite e reforça toda a melancolia de Hallownest. As músicas combinam perfeitamente com cada cenário e os arranjos são muito bem trabalhados, em alguns momentos a melodia muda de acordo com a situação. Ao escutar as canções é impossível não se emocionar e se sentir triste, pois é claro todo o sentimento desolado que foi colocado em cada nota.

Escolha certeira na arte e na animação

A arte escolhida para Hollow Knight não poderia ter sido melhor. O game é todo desenhado a mão, não tendo nenhum elemento 3D, o que dá um charme a mais na aventura. As animações são de alta qualidade. Percebe-se que houve muito cuidado por parte dos produtores em cada movimento de cada personagem e cenário do jogo.

Há uma quantidade absurda de detalhes que são de encher os olhos, desde os cenários até mesmo na sonoplastia que também foi extremamente bem trabalhada e cuidadosamente criada, diga-se de passagem.

Jogar Hollow Knight é, acima de tudo, uma experiência visual e sonora que há muito não vejo em um jogo.

Alta dificuldade, mas recompensador

Um dos pontos fortes de Hollow Knight é a sua alta dificuldade. Logo no primeiro Boss já dá pra sentir o que o jogo oferece em termos de dificuldade e uma noção do que o jogador pode esperar dali pra frente. Nesse ponto o jogo se baseia bastante no que já vimos nos jogos da série Souls: um combate baseado em ataque e esquiva. A dificuldade aumenta gradualmente na medida que seu personagem vai coletando os poderes e os amuletos, nos quais falarei mais pra frente.

Mas não se assuste! Apesar de dificil, Hollow Knight também é bastante recompensador! Cada Boss que for derrotado o jogador é recompensado com algo, seja com Fragmentos de Máscara ou amuletos e poderes que ajudam muito na exploração e no combate. Então se você gosta de dificuldade, Hollow Knight é um prato cheio!

Exploração é a alma do negócio

Assim como todo bom Metroidvania a exploração é muito importante. O mapa de Hallownest é muito vasto e dividido por vários cenários. Há muitos segredos para serem descobertos, muitas paredes falsas para serem quebradas e muitos bosses secretos para serem derrotados. Quanto mais explorar mais amigável o jogo se torna, pois O Cavaleiro vai ficando mais forte com os itens que vai adquirindo. Há uma quantidade absurda de conteúdos espalhados por todos os cenários. Então se forem jogar explorem o máximo que conseguirem! Se não acharem tudo sozinhos, a Wikia do game pode dar uma mãozinha. rs.

O level design é impecável! Foi todo muito bem pensado e trabalhado. Os segredos são muito bem posicionados assim como os inimigos. Há muitos pontos do mapa que só podem ser acessados com um poder específico.

Para ajudar na exploração há as Estações de Besouro (conhecidas também como Fast Travel. rs) nas quais, antes de Hallownest cair em escuridão, eram utilizadas pelos cidadãos do reino para se locomoverem entre as regiões. É uma espécie de transporte que os besouros do reino eram designados a oferecer aos moradores. Atualmente as estações estão abandonadas e apenas um besouro sobreviveu à calamidade. Ele decide ajudar O Cavaleiro o transportando entre as estações de Hallownest.

São Amuletos que não acabam mais

Uma das coisas que mais me chamaram a atenção em Hollow Knight foi seu sistema de amuletos. Ao total são 45 para serem coletados. Cada amuleto possui um poder, seja aumentar a força do ferrão, o alcance do ataque, aumentar a vida, esquivar mais rápido e por aí vai. Esse sistema dá uma gama enorme de gameplay pois dependendo dos amuletos equipados a forma de jogar muda. O Cavaleiro pode equipar vários deles, mas há um limite – Cada amuleto possui um número específico de encaixes que ele necessita para ser equipado, ou seja, os melhores requerem um número maior de espaços.

De inicio o herói possui poucos encaixes disponíveis, mas na medida que for avançando no game e explorando os cenários esse número aumenta, dando a viabilidade de vários amuletos serem equipados. Os encaixes podem ser encontrados em locais secretos ou comprando com Geo, o dinheiro do jogo, na mão de NPCs. Além disso há a possibilidade de combinar os poderes dos amuletos, aumentando ainda mais as formas de jogar.

Penalização justa, mas frustrante

Por todos os cenários há espalhados bancos para O Cavaleiro sentar e recuperar toda sua vida. Os bancos também servem como savepoint.

Morrer em Hollow Knight pode ser bem frustrante em muitas situações. Quando derrotado O Cavaleiro reaparece no último banco em que sentou. Se você morreu em algum lugar longe de um banco, todo o caminho deve ser percorrido novamente. O bom é que os itens que foram conquistados continuam com você mesmo se tiver caído em batalha.

Quando morto O Cavaleiro perde todo o Geo carregado e a capacidade de energia cai pela metade. Indo ao local onde foi derrotado é possível encontrar o que eles chamam de “arrependimento”, que nada mais é do que uma sombra que possui a forma do herói e que quando derrotada tudo o que foi perdido com a sua morte é recuperado. Não é dificil derrotá-la, mas o fato de ter que percorrer todo o cenário novamente, dependendo da situação, pode ser muito massante e frustrante. Então a dica é sempre bom evitar morrer.

Três DLCs recheadas de conteúdo

Além do trabalho fabuloso da Team Cherry em Hollow Knight no jogo base o estúdio disponibilizou de graça três DLCs que adicionam muito conteúdo no gameplay e também na história. São eles:

  • Sonhos Escondidos: Adiciona dois novos chefes, três novos inimigos, uma nova habilidade e uma nova Estação de Besouro;
  • A Trupe de Grimm: Foram adicionados dois novos bosses, três inimigos, quatro NPCs, oito amuletos, uma nova área e uma nova entrada no bestiário;
  • Sangue Vital: Na verdade esta foi uma grande atualização que consertou alguns bugs que haviam no jogo original. Trouxe também um maior equilibrio entre os amuletos. Foi adicionado a possibilidade de mudar o estilo do menu principal. Alguns visuais e animações de personagens e cenários foram alterados. Alguns inimigos também sofreram alterações no dano causado e na defesa.

O melhor é que não acaba por aí! Tem mais uma DLC programada para ser lançada em algum momento de 2018 chamada de Gods & Glory, na qual a Team Cherry prometeu ser a DLC com maior conteúdo lançado. E em Junho do ano passado o estúdio também prometeu uma DLC da Hornet, uma personagem que ajuda O Cavaleiro em sua jornada; esta ainda não há uma previsão de quando será lançada. E o melhor: tudo de graça, sem pagar um centavo! 🙂

No Nintendo Switch é muito mais gostoso

Devo parabenizar a Team Cherry também pelo ótimo port feito para o console da Nintendo. Quase não tive nenhum problema com bug e o jogo é bonito tanto no dock como no modo portátil, a diferença de resolução não afeta em nada na qualidade visual que o game proporciona.

Quase não presenciei quedas de frame rate e pude jogar tranquilamente todo o jogo tanto no modo portátil quanto no dock.

98%
Incrível!

Hollow Knight traz tudo o que um Metroidvania pode trazer de bom e vai além. Um sistema de progressão equilibrado e de acordo com o Level Design, uma dificuldade no ponto certo, uma atmosfera melancólica e todo o cuidado que tiveram na arte 2D desenhada a mão, nas animações e sonoplastia fazem de Hollow Knight um dos melhores jogos de 2018 e talvez o melhor Metroidvania em anos. No Nintendo Switch a experiência é elevada, já que com a praticidade que o console proporciona fica muito mais agradável de jogar.

  • Nota Final
você pode gostar também