Análise – I, Zombie

0 50 Visualizações

Dos desenvolvedores que nos deram Badass Hero, Oozi: Earth Adventure e Yet Another Zombie Defense HD, trouxe também I, Zombie para o Nintendo Switch, um jogo de sobrevivência zumbi que chegou inicialmente na Steam em 2014, e até hoje é muito bem elogiado.

O game já começa com uma forma de contar a história totalmente diferente do que estamos acostumados. Ao contrário dos demais jogos com o tema Apocalipse Zumbi, “I, Zombie” inova ao te colocar na pele de um zumbi, que tem como único objetivo, atacar os seres humanos sobreviventes, transformando-os em parceiros que vão te ajudar atacar de forma ainda mais pesada os inimigos.

Acaba por ser bem diferente no primeiro momento, pois estamos tão acostumados com jogos de sobrevivência de zumbis, onde você é um humano e você precisa sobreviver ao apocalipse zumbi, este definitivamente não é o caso de I, Zombie.

A estratégia é sua amiga

O jogo, apesar de simples, vai te proporcionar dois estilos diferentes de jogabilidade: Em um primeiro momento, você terá trabalhar seu lad “stealth”, lembrando o clima de Metal Gear, e obrigando o jogador reconhecer os caminhos traçados pelos humanos militares, para só então tomar uma ação direta. Tudo com o objetivo de desviar dos seus traçados e evitar um confronto direto e fatal, até que você esteja próximo o suficiente para atacá-lo sem ser abatido.

É bem interessante esse processo de conhecimento dos limites do seu personagem, não pense que você vai conseguir morder alguém indo de frente com balas, será mais fácil esperar atrás da casa para só então quando o soldado chegar próximo, você ataca-lo!

Em vários momentos nos pegamos na pele de um líder da equipe zumbi que conseguiu transformar, no qual você terá a possibilidade de dar comandos de ataque para os demais zumbis, que assumirão o papel de verdadeiros peões num jogo de xadrez, se sacrificando em prol de um objetivo maior.

Esses comandos são compostos por 3 ações: Pedir para seguir você, aguardar suas ordens ou fazer o time todo atacar ferozmente. Cada cenário requer abordagem tática e planejamento cuidadoso para alcançar o sucesso. A estratégia principal é transformar o maior número possível de humanos em zumbis, com o menor número possível de zumbis abatidos.

Um desafio interessante.

Os níveis são bem trabalhados, apesar de simples. A jogabilidade corresponde com o objetivo do jogo e o som é ok, agradando a galera que curte solo de metal.

O jogo possui um nível de dificuldade elevado comparado com a média de jogos presentes no Switch. Então, apesar de um jogo simples, é uma pedida excelente para quem gosta de desafios. A estratégia é constante, e caso você seja mais empolgado para sair correndo e comer tudo pela frente, você pode ter uma experiência frustante. Cuidado para não jogar o Switch longe!

O jogo é composto pors 30 níveis do jogo (20 temáticos de verão e 10 temas temáticos do inverno), esses seguidores do zumbi se seguem, onde você estiver cambaleando, (desde que você pressione Y.).

Bug? Algo que nos incomodou durante o gameplay em relação aos efeitos sonoros foi estar sempre muito baixo o volume. Mesmo 100% de volume, o game insistia em parecer muito baixo. Mas certamente é algo que pode ser corrigido em uma atualização.

 

Níveis criados pela comunidade

Talvez aqui o game se diferencia, graças ao modo Community Levels, os jogadores podem criar seus próprios níveis para jogar. Além disso eles podem ser compartilhados para que outros possam testá-los te se e avaliarem se gostaram ou não.
Isso entrega um folego para o replay do game, já que o modo construção nada mais é do que as estruturas que são compostas a campanha principal.

O game está custando 5 dólares na eShop e, infelizmente, o Brasil é prejudicado no contexto do dólar o que acaba fazendo um game que seria barato, se tornar 15 reais, infelizmente. Mas não podemos tirar ponto nesse quesito.

Veridito: Sendo um jogo acessível na eShop, e que com certeza vai agradar as pessoas que curtem um jogo indie com desafios. O jogo consegue cumprir seu papel descompromissado de não querer surpreender por uma grande produção, mas sim preocupado em proporcionar diversão de uma forma simples e diferenciada.

70%
Aceitável

Sendo um jogo acessível na eShop, e que com certeza vai agradar as pessoas que curtem um jogo indie com desafios. O jogo consegue cumprir seu papel descompromissado de não querer surpreender por uma grande produção, mas sim preocupado em proporcionar diversão de uma forma simples e diferenciada.

  • Nota
você pode gostar também