Análise – Super Mario Odyssey

Um jogo de tirar o chapéu, literalmente.

1

Confesso que, todos nós da redação estama ansiosos para que esse dia chegasse. Ter a possibilidade de4 avaliar o primeiro jogo de Mario no Nintendo Switch, e finalmente este dia chegou.

Desde a divulgação do Nintendo Switch, todos aguardavam junto do novo console um game que representasse a Nintendo como um todo, é claro que Super Mário é este jogo. Embora o Switch já tenha recebido dois títulos que envolvessem o personagem, os quais são Mario Kart 8 Deluxe e Mario + Rabbids. Mas será que Super Mario Odyssey, a maior aposta da Nintendo junto do Switch consegue entregar toda essa representatividade?

Pra começar, devemos dizer que inevitavelmente, a Nintendo continua a ser sinônimo de Super Mário. E com a chegada do game muita responsabilidade foi colocada nas mãos dos desenvolvedores, que parecem que nem sentiram toda essa pressão construindo um jogo muito, mas muito bem acabado e polido.

A história

A história traz algo muito simples, familiar e bem consumível. Temos uma princesa Peach raptada (de novo?) mas em um plano um tanto quanto inusitado por parte de Bowser. Agora, o mesmo decide raptá-la para realizar um casamento, mesmo que ela não queira.

Obviamente, Mário tem a missão de impedir que o casamento aconteça, mas algo sai terrivelmente errado, e nessa falha ele acaba por perder o seu chapéu, sendo levado para Cap Kingdom. Neste percurso, Mario acaba conhecendo o famoso novo personagem Cappy. Este personagem conta que sua amada também foi raptada pelo vilão e os dois decidem juntar forças nessa odisseia, os levando para diversos mundos e aventuras.

Cappy é a cereja do bolo

A aplicação de Cappy como um novo personagem é realmente magnífico. O personagem tem um poder muito especial: “possuir” vários inimigos que surgem nos diversos mundos visitados. A ideia é simples, mas que se encaixa de uma forma maravilhosa na prática. Inclusive, muito necessária na série para escapar da monotonia do formato individual de personagem anteriormente existente.

Com Cappy o formato para 2 jogadores acabou sendo mais facilitado. Agora temos um jogador que controla Mario e outro que acaba por controlar Cappy. Neste modelo cooperativo, percebemos o quanto jogo te obriga a trabalhar em sinergia entre os jogadores para conseguir chegar em certos locais mais difíceis. É realmente um trabalho em equipe!

Com esse novo poder de “possuir” as criaturas e até objetos, acabamos por ter uma infinidade de movimentos próprios e algumas regras para utilização de cada personagem ou coisa. É inegável que a jogatina fica ainda mais legal se utilizarmos os sensores de movimento dos joy-cons. Eles foram aplicados no game em um formato bem natural e que, quando utilizados, aumentam a nossa possibilidade para muitos movimentos do Mario.

Indiferente da forma como se utilizam, os mesmos acabam por ser importantes, principalmente nas fases mais avançadas que exigirão uma integração já bem elaborada entre Cappy e Mario. No início os movimentos podem ser até estranhos de realizar, mas apesar de complicados, podem ser totalmente dominados após algum tempo de jogatina. O resultado dessa nova aplicabilidade e desafio, oferece uma liberdade para o jogador nos quesitos de exploração que nos incentiva ainda mais a conhecer diversos lugares nos vários reinos espalhados pelo jogo.

Os Reinos

Neste quesito, estamos encantados até agora. Em cada um dos reinos existe sempre uma nova habilidade ou forma de executar os movimentos. Acabamos por ter diferentes inimigos o que nos forçará a entender sua forma de se comportar para só assim entender como derrotá-lo.

Sem contar essa variação em termos de visual, tamanho e até a música que deixa tudo mais tenso ou divertido. Temos certeza, você ficará encantado com a transição criada pela Nintendo entre a versão 3D e 2D de Super Mario em diversas fases. Logo, a palavra que define é variedade. Notável um grande trabalho neste quesito, o que torna o game não apenas um jogo de fases, mas sim um game que aplica um sistema de progressão, desafios e diversão de forma muito bem elaborada.

Isso aqui é mundo aberto?

A campanha está dividida em 15 reinos que funcionam em um sistema de mundo aberto, e você pode jogar em um formato não linear, podendo cumprir os objetivos em uma ordem totalmente diferente de outro jogador. O modelo de navegar pelos reinos e como se comportam o progresso entre as fases podem ser consideradas (e temos certeza que você também vai achar quando jogar) uma referência direta ao nosso bom e velho Mario 64 (Que homenagem). Os diversos reinos que Mario explora estão desenhados em um formato simples. O primeiro objetivo de cada reino é: chegar e derrotar o Boss. Porém, agora também haverá certos npcs que podem estar com problemas e cabe a você ajudá-los. Desta forma, você será retribuído com luas. O que na prática não deixa de ser missões secundárias.

Temos uma vasta possibilidade de alteração do nosso personagem também, o que nos ajuda manter uma necessidade de novos itens constantemente, assim como querer voltar a visitar os reinos para desbloquear novos itens.

A grande sacada da Nintendo com esse modelo de Reinos foi a forma de como foram estruturados. Você não sentirá que uma fase ou outra é vazia em algum ponto. Tudo foi pensado e calculado para estar ali, agregando sempre em sua experiência. Desvende os pequenos desafios, e certamente terá uma recompensa de forma imediata, fazendo com que se mantenha por um bom tempo em busca da próxima lua.

Trilha sonora magnífica

Sem sombra de dúvidas, o aspecto que nos deixou muito surpresos: trilha sonora. Estamos familiarizados com as trilhas sonoras de Mario, sabemos das boas experiências que a Nintendo já nos ofereceu, assim como Super Mario World, por exemplo. Mas em Odyssey, cada reino possui uma atmosfera musical extremamente única, tão variável que acaba criando no jogador uma experiência impressionante. Em alguns momentos é a trilha sonora que rouba a cena de gameplay! Isso é incrível.

Gráficos e o grande trabalho de desenvolvimento

Os resultados são impressionantes. Tendo em conta as limitações do hardware, Odyssey é um dos games que melhor extraí recursos e poder de processamento do Switch. As técnicas inteligentes de processamento entre imagens e texturas asseguram que a experiência funciona bem nos dois modos, tanto portátil quando no dock, transmitindo uma sensação que tudo o que os designers queriam estão lá, em todos os aspectos do game.

Super Mario Odyssey manteve o que prometeu e roda a 60fps. Mas acreditamos que não é válido citar somente a boa entrega da jogabilidade fluída mas sim destacar o quanto de detalhe o jogo pode oferecer. São os pequenos toques que acabam demonstrando todo o cuidado e atenção trabalhados no jogo inteiro.

Por exemplo, se você rolar uma colina abaixo, pode ter certeza, Mario ficará todo sujo. Caso você pule neste estado na água, a mesma retira toda a sujeira. Tente passar por baixo de uma cachoeira e Mário ficará todo molhado. Assim como quando você passa pela grama, areia ou qualquer outro terreno, levantará um pouco do tipo de terreno por motivos de movimentação, tudo muito bem detalhado. E que tal fazer o Mario adormecer e ver ele sonhar com massa? Sem contar com as questões de temperatura, onde pequenos toques acabam reforçando a sua personalidade de forma muito mais real, agregando de forma excepcional a experiência final de conhecer e jogar com o personagem mais icônico dos videogames tanto no ambiente 3D quanto, em alguns momentos, no formato que consagrou Mario nos videogames, o 2D.

Conclusão: Super Mario Odyssey é tudo o que o jogo de Mario deve ser. Certamente você terá momentos memoráveis nos diversos reinos que o game oferece. Com um modelo de gameplay simples mas desafiador, cativante e extremamente divertido. O jogo é obrigatório para usuários de Nintendo Switch e adoradores de game plataforma. Certamente, é a melhor representação do Mario em 3D até agora, assim como possivelmente o ápice da franquia Super Mario em toda a história dos games.

O jogo foi concedido para análise pela loja GamePointBrasil

100%
Indispensável!

Veredito

Super Mario Odyssey é tudo o que o jogo de Mario deve ser. Certamente você terá momentos memoráveis nos diversos reinos que o game oferece. Com um modelo de gameplay simples mas desafiador, cativante e extremamente divertido. O jogo é obrigatório para usuários de Nintendo Switch e adoradores de game plataforma. Certamente, é a melhor representação do Mario em 3D até agora, assim como possivelmente o ápice da franquia Super Mario em toda a história dos games.

  • Nota
você pode gostar também