Análise – Tricky Towers Nintendo Switch

0

Sabemos que houve uma evolução em diversos gêneros de jogos que mudaram até mesmo a sua fórmula tradicional, apostando em novas mecânica para manter a fórmula viva na mente dos jogadores. Por isso em 2009, a desenvolvedora WeirdBeard Games iniciou essa evolução lançando o seu primeiro game de quebra-cabeças baseado em física com elementos extraídos diretamente de Tetris, chamado 99 Bricks. Após um o grande sucesso, a desenvolvedora acabou trazendo oficialmente Tricky Towers, entrega uma premissa mais desafiadora que 99 Bricks envolvendo a construção de torres, atribuindo mais modos e com um maior foco no competitivo. Agora o game acaba de chegar no Nintendo Switch. Mas será que vale adquiri-lo no console da Nintendo?

Tetris + Física + Desafios = Tricky Towers

Quando você começa a testar o game você percebe, de imediato, que Tricky Towers é totalmente diferente no sentido dos encaixa dos blocos. Apesar de ainda existir a premissão de conectar os blocos e criar uma estrutura solida para vencer, aqui não existe paredes para você se basear e que durante a partida você parceberá que, se não houver um cuidado, poderá criar lacunas e possíveis instabilidades no meio de blocos, o que poderá ser o seu fim em um futuro próximo. A física entra de forma muito forte no jogo e obriga o jogador a ser mais calteloso na hora de decidir em qual lugar vai cada peça.

Não é apenas sobre encaixar blocos

O game acaba por se diversificar de forma bem interessante e deixa claro para o jogador que construir algo sólido não fará você um vencedor no game. Durante as partidas você terá um parceiro mago e, do outro lado um inimigo mago. Enquanto você está enfretando o desafio de construir sua torre com as peças aleatórias que chegam, você irá adquirir feitiços de luz e negros para se ajudar ou até mesmo prejudicar seus inimigos.

Os feitiços são um formato diferente de interação entre os jogadores que faz com que uma experiência de construção seja ainda mais desafiadora.

Modos de Jogo

Existem 3 modos de jogo, disponíveis tanto nos modos single-player e multiplayer (local e online): puzzle, corrida e sobrevivência.

  • Quebra-cabeça – Fornece blocos predeterminados que você deve encaixar de forma muito bem calculada para que os mesmos não ultrapassem o laser que fica acima dos blocos. Um formato bem desafiador e inovador, e que força o jogador a trabalhar bem com a física do game.

  • Corrida – Este modo você deve ser o mais rápido na criação de uma torre alta o suficiente para alcançar uma linha quadriculada suspensa. As primeiras fases podem parecer bem fáceis, mas posteriormente os desafios são bem elevados.

  • Sobrevivência – Neste modo jogadores detêm de 3 vidas enquanto você constroi. Caso um tijolo venha a cair, uma vida é perdida.

A WeirdBeard Games criou um formato inteligente estratégico para entregar modos diversificados e que com certeza aumenta o fator de replay, pelo menos mais do que o esperado.

Tricky Towers no Switch

Sem dúvida alguma, WeirdBeard Games acertou em trazer um game deste tipo para o Nintendo Switch. Anteriormente, eu já tinhamos testado no Playstation 4 e sempre imaginavámos como seria jogá-lo na plataforma da Nintendo. Graficamente o jogo permanece lindo no Switch e o tipo de jogo que realmente merecia estar entre a biblioteca do Switch. Ele é a cara do Switch! 🙂

Foco no multiplayer

Dizer que o jogo tem single-player é uma coisa, agora citar que o game pode ser jogado sozinho sempre é outra coisa muito diferente. Tricky Towers deixa claro que o seu foco é o multiplayer. Realizamos testes e jogando sozinho por um tempo e depois com amigos. No single player os desafios podem ser desasiadamente dificieis e que podem faz com que jogadores mais casuais desistam do jogo mais cedo do que parece.

Entretanto, quando testado com amigos, parece que a magia do jogo é simplesmente ativada. Para se ter uma noção, levei e testei o game para uma viagem no feriado com a família e (pasmem) minha avó e tios largaram o jogo de cartas para tentar empilhar os blocos contra minha mãe e outros parentes. Todos, sem exceção conseguiram jogar graças ao modelo simples de gameplay, mas que entrega muita diversão. Podendo cada um jogar com um joy-con individual.

Com toda certeza, a WeirdBeard Games merece grandes aplausos por criar um game simples, mas encantador. O modo single-player é muito funcional, principalmente para aprender mais do game, mas, inegavelmente, Tricky Towers é um espetáculo de diversão no multiplayer.

80%
Muito bom

A WeirdBeard Games consegue trazer com Tricky Towers consegue inovar de forma interessante com a aplicação de física em um formato de game tão conhecido e renomado. Apesar de um single player simples, o game vale cada centavo se você usufruir do multiplayer. Com controles simples e bem acertados, aliados a bonitos gráficos cartunizados. O game é um grande acerto em sua chegada no Nintendo Switch, sendo recomendado para todos os fãs do gênero.

  • Design
você pode gostar também