Análise – Xenoblade Chronicles 2

2 62 Visualizações

Já se passaram sete anos desde o primeiro Xenoblade Chronicles no Wii, tempos depois, a Monolith Soft lançou um port do jogo original para o Nintendo New 3DS e um sucessor espiritual chamado de Xenoblade Chronicles X para Wii U em 2015. Agora, o co-fundador do estúdio japonês e diretor executivo, Tetsuya Takahashi, nos entrega uma sequência denominada de Xenoblade Chronicles 2 no Nintendo Switch.

O que já era bom ficou ainda melhor

Xenoblade Chronicles 2 seque a linha dos seus antecessores com seu vasto mundo aberto e visualmente deslumbrante. E, embora seja apresentado como uma sequência direta do jogo original aclamado pela crítica, o RPG de ação apresenta um elenco de personagens diferentes em um mundo totalmente novo, com um novo estilo de arte que nos faz lembra de inicio um anime.

O mundo de Alrest

Os Titãs – criaturas que vivem em harmonia com os seres humanos – estão morrendo. E as províncias que compõem Alrest estão em guerra umas com as outras, com refugiados de aldeias menores reivindicando o santuário dentro do Praetorium em Indol. Mas nem toda esperança da humanidade está perdida. A World Tree, que fica no meio de Alrest, oferece um refúgio seguro para a vida humana.

Argentum.

Conhecido como Elysium, o paraíso final, é proibido a todos (exceto os escolhidos) e destruirá qualquer Humano, Blade, Nopon, Animal ou Titã que se aproxime. No entanto,  Rex (um dos escolhidos), acredita que existe uma maneira de reverter todo o caos. Mergulhado em uma guerra alimentada por anos de amargura entre Torna e o Exército Imperial, Rex contará com a ajuda da Aegis – uma Blade lendária chamada Pyra.

Rex e Pyra

Após uma sequência de abertura intensa e um prólogo dramático, Xenoblade Chronicles 2 se desdobra em um maravilhoso mundo de fantasia acima das nuvens do mar. Cidades, vilarejos e aldeias inteiras são construídas sobre ou dentro de um Titã. O design artístico do jogo é vibrante e colorido presente em cada pixel.

É fácil sentar-se e assistir com admiração, cada cidade tem características únicas, os tons rosa, roxos e azuis de Uraya formam um recife de coral, enquanto as torres do Praetorium de Indoline reluzem à medida que a luz do sol atinge o pátio. Essa atenção aos detalhes ao construir um mundo de fantasia tão adaptável e épico é o que diferencia a Monolith Soft de outros na indústria, mundos profundamente ricos em detalhes, criaturas fantásticas e historia profunda.

Talvez seja por isso que o enredo principal de Xenoblade Chronicles 2 é tão fascinante. Enquanto Xenoblade Chronicles X pecava no desenvolvimento da história, Xenoblade Chronicles 2 faz isso com maestria. Com longas cutscenes por todo o jogo. Com o enredo e a construção de um vasto mundo, a Monolith Soft entrega aos jogadores um sistema de combate profundo que é diferente do estilo dos jogos anteriores.

Jogabilidade

Cada personagem jogável como Rex, Nia ou Tora são conhecidos como Drivers que controlam os Blades (humanos, animais ou humanóides usados em batalha). Cada Blade é amarrada por um fio de energia (éter) ao seu driver e pode canalizar seu poder para iniciar Arts, que estão ligados à sua tipagem elementar e à arma que eles exercem. Quando o fio de éter quebra entre Driver e Blade, seus ataques automáticos tornam-se mais fracos. Por outro lado, quanto maior o laço afetivos entre Driver e Blade maior será a força de seu ataque, causando maiores danos.

Os Drivers podem anexar até três Blades diferentes, possibilitando ataques combinados, causando grandes danos. Mas seja cauteloso, se você usar consistentemente o mesmo ataque combinado com o mesmo inimigo, ele se adaptará. O que uma vez funcionou com grande maestria na primeira vez, dificilmente resultará no mesmo efeito em sequencias repetitivas.

Se o seu grupo tiver um alto índice de acerto em um inimigo, os jogadores poderão ativar o ataque especial em equipe para aumentar o dano crítico. No entanto, um ataque tão grande precisará ser usado estrategicamente pelos jogadores, pois faz com que o grupo perca o poder de ressuscitar um membro morto.

Em um ambiente em constante mudança, juntamente com as fraquezas inimigas, as batalhas podem ser estrategicamente conquistadas com o conjunto de habilidade certa e os Blades equipados corretamente. Após os primeiros capítulos, você poderá vincular novos Blades a qualquer Driver. Ao coletar cristais, os jogadores podem melhorar as estatísticas de cada componente do grupo.

Claro, todas as Blades não utilizadas devem ocupar seu tempo com algo – e é aí que as Missões secundarias (Merc Missions) entram em jogo. Na províncias de Alrest você pode enviar suas Blades em missões de busca para ajudar os habitantes do Titã, e ao finalizar cada missão eles retornarão com ouro e experiência de bônus para seus personagens, aumentando suas habilidades e construindo sua confiança com o Driver.

Desempenho

Com uma experiência de jogo tão rica, é bastante lamentável que a maioria das falhas de Xenoblade Chronicles 2 sejam estritamente técnicas. Ao assumir as missões secundárias ou as missões da história principal, os jogadores terão a capacidade de viajar rapidamente para qualquer ponto anterior visitado. Embora seja uma ótima maneira de economizar tempo e de não ter que atravessar enormes cenários até chegar ao seu destino, temos um ponto negativo aqui, o Switch carrega os ambientes em planos de escala, fazendo com que o destalhes sejam carregados aos poucos.

Após isso, dentro dos primeiros minutos, os jogadores também experimentam pequenas quedas no framerate, devido ao tempo que o Switch leva para carregar o game. Esse tempo pode variar de cenário para cenário e entre versões (físico e digital).

Outras questões é com o sistema de rastreamento (marcador de missão) do jogo. Mesmo com o meu Sat Nav, descobrir a localização de uma missão principal ou secundária as vezes pode testar o limite de qualquer jogador.

Enquanto o jogo permite que você desative e ative missões em qualquer momento, ele tende a reunir todos os marcadores de missão juntos. Então, se você tiver uma missão para matar três Spike Urchons, você pode ter até três ou mais marcadores de missão indicados no topo da barra direcional do jogo. À medida que você se aproxima da localização, os números diminuirão, bem como indicarão o nível alto ou abaixo do nível do solo. Infelizmente, devido ao pequeno mapa miniatura do jogo e ao mapa maior (opcional) translúcido, os jogadores inexperientes provavelmente passarão horas vagando pelo mundo aberto com centenas de inimigos.

 

Enquanto os visuais são simplesmente lindos quando o Switch está no modo dock, sua aparência cristalina diminui no modo portátil, mas nada que possa comprometer o desempenho do jogo, uma vez que a experiência de jogo continua intensamente divertida para veteranos e recém-chegados da série.

Mesmo com algumas dificuldades técnicas, Xenoblade Chronicles 2 é um forte candidato aos melhores jogos do Switch. Seu enredo maravilhosamente construído, estilo artístico e experiência de jogo rica trará horas de diversão para todos os jogadores.

95%
Incrível!

Veredito

Xenoblade Chronicles 2 é uma grande aventura, regada por uma história que te prende do inicio ao fim, com uma ótima trilha sonora e gráficos bastante coloridos. A Monolith Soft entrega uma aventura completa, envolvente e cheia de mistérios, um prato cheio para os amantes de JRPG.

  • Nota
você pode gostar também